Portal da Cidade Atibaia

Atibaia
353 anos

História de Atibaia - SP

Por Atibaia passaram os antigos bandeirantes do século XVII que têm ligação direta na fundação da cidade, pois atuavam como desbravadores explorando novas terras em busca de minerais preciosos e índios.

A maioria das expedições partia de São Paulo e a rota mais procurada era a que levava aos tesouros de Minas Gerais. Na época, as viagens eram longas, árduas e cansativas e era preciso fazer inúmeras paradas para descanso e abastecimento. A primeira delas, ainda na região de São Paulo, era feita onde atualmente situa-se Atibaia, pois os bandeirantes tinham grande interesse na colina banhada por um rio.

Profundo conhecedor da região, o bandeirante Jerônimo de Camargo fundou uma fazenda de gado e, no alto da colina, construiu uma capela sob proteção de São João Batista, no dia 24 de junho de 1665 – atualmente a data é feriado municipal em comemoração ao aniversário da cidade.

Neste mesmo período, o padre Mateus Nunes de Siqueira chegou do sertão com um grupo de índios guarus catequizados e, por ordem da Câmara Municipal de São Paulo, instalou-os ao lado do sítio de São João Batista. O pequeno núcleo confirmou-se, então, como parada obrigatória para quem seguia em direção a Minas Gerais e o povoado começou a desenvolver-se lentamente.

Mas foi a partir de 1864 que o povoado recebeu o título de município e, em 1905, o município de São João de Atibaia passou a denominar-se apenas Atibaia. A partir da Proclamação da República, Atibaia iniciou uma fase de grande desenvolvimento com uma série de melhoramentos locais: a instalação de redes de água, esgoto e luz elétrica, as inaugurações do Grupo Escolar José Alvim e do Hotel Municipal, a criação da primeira indústria têxtil, o alargamento das ruas, o ajardinamento das praças. Todos esses fatores alteraram significativamente o perfil da vila pobrezinha de São João do Atibaia e deram origem à Atibaia que conhecemos hoje.

Origem do Nome

Os tupinólogos têm procurado definir o verdadeiro significado da palavra Atibaia e suas variáveis, tais como Tybaia, Thibaya, Atubaia, etc. Alguns especialistas afirmam que a origem tem diversos significados, tais como rio da feitoria, rio alagado, morro dependurado, água saudável, trançada, revolta ou confusa.

Segundo as palavras de João Batista Conti, “Atibaia possui o rio que corre nas várzeas, o rio alagadiço, a água trançada revolta e confusa, mas, sobretudo, possui a água agradável ao paladar, cujas propriedades medicinais têm sido decantadas por ilustres médicos, cientistas e por todos aqueles que a têm procurado como verdadeira fonte de saúde”.

Localização

Situada a sudeste do Estado de São Paulo, Atibaia abrange uma área de aproximadamente 490 km², sendo 57% zona rural e 43% zona urbana. Atualmente, a população gira em torno de 120 mil habitantes.

O município localiza-se entre três importantes regiões do Estado: fica a 67 km de São Paulo, 60 km de Campinas e a 90 km de São José dos Campos.

Além disso, está no centro do maior pólo consumidor do País, no cruzamento de duas das mais importantes rodovias para o desenvolvimento da região, do Estado e da nação: a Rodovia Fernão Dias, que liga São Paulo a Belo Horizonte, e a Rodovia Dom Pedro I, que liga Campinas a Jacareí.

O desenvolvimento da cidade é influenciado diretamente pela rotação diária de inúmeros veículos, trazendo investimentos e benefícios para a população da região.

A cidade limita-se a norte com o município de Bragança Paulista, a sul com Franco da Rocha e Mairiporã, a leste com Piracaia e Bom Jesus dos Perdões e a oeste com Jarinu e Campo Limpo Paulista.

Aspectos Naturais

Atibaia reúne diversos aspectos naturais que a tornam um belo e agradável local para se viver. As serras abrangem 8% do território e o ponto culminante de Atibaia fica na Serra do Itapetinga: trata-se do Pico da Pedra Grande com 1.450m de altitude. No local, encontra-se uma espécie de flora considerada uma excepcionalidade, sendo estudada por especialistas renomados de várias partes do Brasil. O nome é flora xérica e a probabilidade de que floresça e perpetue-se em solos rochosos é mínima, possível de ser encontrada em poucos lugares do mundo.

A localização da cidade, encravada em um conjunto de serras, facilita a circulação dos ventos dominantes, tornando o ar sempre limpo. O clima é do tipo temperado seco, com temperatura média anual de 19º C e umidade do ar de 80%, e a vegetação predominante no município é composta pela Mata Atlântica.

A cidade é drenada pelo Rio Atibaia, que é dividido em sub-bacias: Ribeirões Laranja Azeda, Itapetinga, do Onofre, Folha Larga, Caetetuba, da Cachoeira e das Amaraes, o Córrego do Lajeado e o Rio das Pedras.

Atibaia possui algumas Unidades de Conservação Ambiental, criadas por Lei Estadual e conhecidas como Áreas de Proteção Ambiental do Sistema Cantareira e do Bairro da Usina, além de outras áreas protegidas como o Tombamento da Serra do Itapetinga, o Parque Municipal da Grota Funda e mais recentemente a APA Municipal das Várzeas do Rio Atibaia. E em 30 de março de 2010, o Governo do Estado de São Paulo, pelo Decreto Estadual n° 55.662, criou o Parque Estadual de Itapetinga e o Monumento Natural Estadual da Pedra Grande, que abrangem o município de Atibaia.

Além disso, Atibaia é classificada como uma estância hidromineral pelo Estado de São Paulo por cumprir determinados pré-requisitos definidos por uma Lei Estadual. Esse título garante um aumento no repasse de verbas estaduais ao município para a promoção do turismo existente no local. Atibaia foi transformada em estância hidromineral pela Lei n° 5091, de 8 de maio de 1986.